Monthly Archives: Janeiro 2013

O FoxReplace foi actualizado. Acompanhe a mudança!

No último dia 16 de Janeiro saiu uma actualização para o FoxReplace, ficando o mesmo na versão 0.14.0. Esta versão traz algumas novidades, e passo a referir as mais relevantes.

É agora possível escolher qual(is) das sub-listas de substituição queremos que esteja(m) activa(s), ou seja, é possível, por exemplo, escolher se queremos que sejam feitas apenas substituições em palavras começadas por S, ou por A e R, ou qualquer outra combinação. Mas claro, na prática queremos que sejam feitas substituições em tantas palavras em acordês quanto possível, por isso o melhor será ser ter sempre todas as sub-listas activas.

A tecla que forçava o FoxReplace a fazer as substituições numa página passou de F2 à combinação de teclas Shift+F8. No entanto, continua a ser possível forçar este comportamento ao clicar no botão do FoxReplace (ver imagem abaixo).

Botão do FoxReplace. Clicar nele tem o mesmo efeito que premir a combinação de teclas Shift+F8

Botão do FoxReplace

O ficheiro pelo qual o FoxReplace recebia a lista de substituição mais recente foi alterado. Por esta razão, para continuar a receber a versão mais recente da lista de substituição, terá necessariamente de ir às opções do FoxReplace e, onde está o URL http://dl.dropbox.com/u/4967399/FoxReplace.xml, substituir por https://dl.dropbox.com/u/4967399/FoxReplace.json. As partes a negrito do endereço servem apenas para destacar as diferenças entre o endereço antigo e o novo. Se não fizer a mudança de endereços, o seu FoxReplace deixará de fazer as substituições. Se tiver alguma dúvida sobre este procedimento, visite o tutorial que diz como instalar e configurar. Este mesmo tutorial também foi actualizado para reflectir estas mudanças.


Quanto ao FoxReplace em si, é tudo. Aproveito agora para anunciar que são agora substituídas palavras como “autoditata”, ao passo que antes apenas eram substituídas palavras como “didata”. São agora também suportadas palavras como “eclético”, “ecletismo” e “ecleticamente”.

Anúncios

Uma crítica alternativa à publicada ontem.

perspectivas

O problema verdadeiro é a filosofia subjacente a este Acordo Ortográfico, segundo a qual “se deve escrever conforme se fala”, que levará à pulverização e tribalização da língua portuguesa. Por isso, defender a língua portuguesa significa lutar contra este Acordo Ortográfico.

Quando, há já alguns anos, li um artigo de Olavo de Carvalho em que ele criticava os cursos de filosofia em determinadas universidades brasileiras, sinceramente, naquela altura, pensei que ele exagerava um pouco na crítica. Mas depois, à medida em que ia lendo artigos publicados por professores universitários de filosofia, aprendi que, de facto, Olavo de Carvalho não exagerou em nada na crítica daquele artigo.

Cheguei a este verbete assinado por um professor de filosofia da UFSJ através destoutro do blogue Firefox Contra o Acordo Ortográfico.

View original post mais 592 palavras

Um desabafo perante a psicose crónica acordista

Deparei-me com uma página intitulada Acordo Ortográfico e 2013 – por José Mauricio de Carvalho. Quando acabei de ler o seu conteúdo, partilhei a mesma no Facebook com um comentário a condizer. No entanto, devo dizer, o conteúdo da página é tão alucinante (no pior sentido possível) que não resisto em partilhar também aqui o mesmo comentário, talvez com apenas um bocadinho mais de texto, agora que estou de cabeça mais fria e me ocorre dizer ainda mais coisas.

Só a título de compreensão, o comentário consiste numa série de citações do próprio artigo, seguidas de um breve comentário ao conteúdo das mesmas.

E pronto, explicações dadas, aqui vai o comentário ao artigo:

Por que o acordo ortográfico é importante? Estudantes dos países lusófonos intensificarão a mobilidade nos próximos anos, sem acordo terão que estudar numa ortografia diferente da usada em seu país; diversas empresas brasileiras estão hoje atuando em países africanos de língua portuguesa, há muitos brasileiros vivendo lá e contratos sendo ali assinados, o acordo facilita tudo isto

HAHAHAHAHAHAHAHA(…)HAHAHAHAHAHAHAHA!!!!

Gostei particularmente do “sem acordo terão que estudar numa ortografia diferente da usada em seu país”, especialmente QUANDO O BRASIL É O ÚNICO PAÍS DA CPLP COM GRAFIA DIFERENTE DAS RESTANTES!! E desculpem que vos diga, mas um brasileiro que não consiga perceber uma palavra portuguesa só porque tem um ‘p’ ou um ‘c’ a mais que a correspondente brasileira, tem problemas cognitivos mais graves. E mais: como se fosse o dever de qualquer país adaptar-se aos estrangeiros (ainda por cima falantes da mesma língua). Digam-me, quantas vezes é que foram a Espanha e foram os espanhóis que vos tentaram perceber? Ou então os ingleses e holandeses que vivem há anos no Algarve? Garanto-vos, não há muitos que falem português; é tudo em inglês.

o mercado editorial de todos os países lusófonos ganhará com o acordo, os livros editados num país poderão ser utilizados em todos os outros, incluídos os livros didáticos e complementares empregados no sistema educacional.

HAHAHAHAHAHAHAHA(…)HAHAHAHAHAHAHAHA!!!! x 2

Especialmente porque os programas escolares são os mesmos em todos os países!!

O principal motivo é que o acordo tornará a língua portuguesa uma das mais faladas do mundo

HAHAHAHAHAHAHAHA(…)HAHAHAHAHAHAHAHA!!!! x 3

Em primeiro lugar, o Português já é a 6ª língua mais falada no mundo. Em segundo, isto acontece só de si graças ao número de brasileiros no mundo, e não graças à língua propriamente dita. Por fim, como é que um recurso escrito torna uma língua mais falada?

Embora exista diferença de sotaque e estilo entre as outras línguas, a grafia delas é igual.

HAHAHAHAHAHAHAHA(…)HAHAHAHAHAHAHAHA!!!! x 4

O que foi escrito antes são tudo mentiras. Esta é simplesmente ignorância. Por exemplo: http://ilcao.cedilha.net/?p=5827

Não há caso de grafias diferentes de uma mesma língua. É o que devemos perseguir também para o português.

HAHAHAHAHAHAHAHA(…)HAHAHAHAHAHAHAHA!!!! x 5

Esta é ignorância ao quadrado. Deve pensar que os Americanos e os Ingleses, povos que comunicam em Inglês, a segunda língua mais falada no mundo, mas, sem dúvida, a “língua internacional”, escrevem “center”, “theater” e mais uma mão cheia de palavras da mesma maneira.

Certamente que há um nome em Português apropriado para pessoas que escrevem coisas destas…

perspectivas

Essencial do essencial é sempre ter considerado que a ortografia é uma convenção, um facto que se veste sobre o corpo da língua.

via No moleskine: Acordo ortográfico.

A defesa do Acordo Ortográfico leva certa gente aos argumentos mais rebuscados e falaciosos. É o caso do escriba supracitado. ¿O que é que ele faz, naquele texto? Primeiro, diz que “a ortografia é uma convenção”; e depois, partindo deste princípio errado, define os neologismos como convenções da língua — ou seja, estende a concepção de “neologismo” à essência da própria língua, como se a língua escrita nada mais fosse senão um processo histórico de incorporação de neologismos.

Vamos saber o que é uma convenção:

View original post mais 309 palavras

Actualizações recentes — o veredito do Correio da Manhã

Boas!!

Espero que tenham todos passado umas boas épocas festivas e Ano Novo!

Cá vai mais uma remessa de actualizações (em vigor desde esta madrugada). Comecemos pelo mais rápido; de novas palavras, há apenas uma: “veredito”, que passa agora a “veredicto”. Também foi feita uma correcção a uma expressão que estava converter “estático” em “estáctico”.

Relativamente a novos sites na lista de sites afectados pelo FoxReplace, temos os seguintes:

Continuar a ler