Bem-vindos!

Sejam bem-vindos ao site oficial da solução Firefox+FoxReplace contra o AO90!

Este post é fixo e aparece sempre no topo da página inicial e serve um pouco como uma pequena visita guiada para quem entra aqui pela primeira vez!😛

Este site pretende ser mais uma frente de luta contra a aberração que é o Acordo Ortográfico. Mais especificamente, será o site oficial de suporte e divulgação ao método para colocar o seu Firefox  a mostrar textos em acordês como se estivessem escritos de acordo com a norma do AO45, que é aquela que todos conhecemos muito bem e estamos familiarizados. Isto é feito com recurso ao extra FoxReplace, para o Firefox. Não sabe o que é? Encontra a resposta na página convenientemente denominada O que é?.

Depois de ver o que é e do que é que se trata, certamente que ficará interessado em experimentar. O processo é simples e está tudo explicadinho na página que diz exactamente como instalar e configurar.

Este processo de tentativa de conversão AO90->AO45 é, na realidade um processo de substituição, ou seja, existe uma lista que contém um conjunto de expressões a procurar que, depois de encontradas, devem ser substituídas por outras expressões. Esta lista de substituições é livre para consulta no site e incentivamos o leitor a sugerir mais palavras ou grupos de palavras que ainda não façam parte da actual lista. Se se quiser aventurar na criação das expressões que identificam as palavras a serem substituídas, pode sempre passar pela página que explica como criar as entradas da lista de substituição. Qualquer coisa, não se esqueça de partilhar connosco!😀

Qualquer dúvida, passe pela página que fala um pouco sobre o site e/ou contacte o staff.

Não se esqueça de subscrever às notícias do site por RSS para estar sempre a par de tudo o que for publicado.

Já agora, se é contra o Acordo Ortográfico e/ou pretende fazer uso deste extra para esse efeito, não deixe de passar pelo site oficial da Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico e de assinar a ILC. Não se limite à desonra que é a passividade perante coisas fáceis.

Posted on 10 de Abril de 2012, in Notícias. Bookmark the permalink. 17 comentários.

  1. Olá Ashyamn,

    Ainda às voltas com o novo A.O.:

    http://numadeletra.com/8057.html

    (Em relação à sugestão que me deu – assinar a Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico – aproveito para informar que o fiz no primeiro semestre de 2011, altura em que tive conhecimento desta actividade).

    Abraço,

    numadeletra

  2. Além das substituções, os sítios web alvo deveriam ser notificados de que um visitante fez questão em ler a página em boa ortografia.

    Sei que provavelmente tal requererá alteração ao código-fonte do plugin, mas seria genial que a cada visita dum utilizador anti-AO se registasse ou nas estatísticas da página ou mesmo com email enviado para a sua caixa de correio de que houve alguém que votou com este plugin contra a adopção do acordo.

    Assim as empresas e instituições teriam a noção da escala das pessoas contra este acordo.

    • Não sei bem o que responder… de facto é muito apetecível ver algo parecido a acontecer, mas a informática não funciona assim🙂
      Depende, sim, de cada utilizador a exposição da sua indignação nos sites que estes bem entendam. Se fizerem referência a este site, melhor! Mas fazer isto automaticamente não é exequível.

      O mais parecido que já me ocorreu fazer foi notificar algum responsável dos sites alvo que o seu site faz parte da lista de sites alvo (http://wp.me/P2l3te-2w), mas acabo sempre por não fazer isso, pois não quero cá “guerrinhas” com outros sites e ainda passaria por arrogante ou parecido, e não é nada disto que está em questão.

      Mas fico contente por apreciar a iniciativa🙂
      Se assim o entender, não deixe de a divulgar e talvez passar pela nossa página no facebook (https://www.facebook.com/FirefoxContraOAcordoOrtografico)

  3. A Faculdade Letras de Lisboa anda a dar de rabo…
    http://www.fl.ul.pt/dlr-quem-somos
    http://www.fl.ul.pt/iclp
    Ferrem-se as bestas.
    Cumpts.

  4. Tenho uma pergunta premente em que espero que alguém me possa ajudar:
    Sou funcionário público (na Câmara Municipal do Porto), e estou normativamente coagido à utilização do AO (existem já normas internas publicadas). Que argumentos legais poderei utilizar para não utilizar, nos documentos que redijo, o AO? Não me refiro à ilegalidade, ao facto de não estar oficialmente em vigor, etc.: com regras internas que me forçam ao AO não tenho escapatória por esse lado. Queria era saber o que poderei em concreto invocar – há alguma norma em que me possa ancorar, do estilo “normas internas que obrigam ao AO são inválidas porque…..” ou algo assim? Tenho de ter algo concreto a esgrimir, caso contrário estou lixado aqui…
    Obrigado, se alguém me puder responder!

    • Olá. Peço imensa desculpa por apenas responder agora. Só agora é que tive oportunidade. Também reparei que colocou (e muito bem) a mesma pergunta no site da ILC, mas temo que a minha resposta seja exactamente a mesma da deles, ou seja, por muita razão que você e nós todos que somos contra o AO90 tenhamos, o facto é que os funcionários públicos são obrigados a supostamente usar o dito cujo, sob pena de sofrerem processos disciplinares ou equivalentes caso não cumpram essa ordem superior. Tal como acontece com o pessoal da ILC, não temos departamento jurídico, pelo que não será sensato aconselhá-lo a tomar qualquer posição concreta, sob pena de não o podermos ajudar juridicamente caso a coisa dê para o torto, como até seria provável que acontecesse, por muita razão que tivesse.

      O único conselho que lhe posso dar é que, se decidir combater isto de frente, que proceda com muito cuidado, pois são conhecidos (uns mais do que outros) casos de pessoas vítimas de represálias por recusarem aplicar o AO90, umas mais subtis que outras.

      • Uma novidade acerca desta problemática: na altura em que coloquei à discussão a minha situação, o meu dilema prendia-se com a redacção de um relatório das minhas actividades durante um período contratual denominado “experimental”, uma vez que se trata apenas de um documento de uso interno, e da minha autoria em sentido estrito.
        Pois bem, estive a pesquisar na intranet aqui da CMP, e descobri que não há nenhum normativo específico a implementar o AO! A única coisa que existe é uma página com orientações, ligações para o “corrector” Lince, apresentações com esclarecimentos de como utilizar o AO (se alguém quiser eu envio-vos, está lindo!…), etc. A tal página começa assim: “Dada a obrigatoriedade legal de aplicação do AO na Administração Pública…”, com ligação para a RCM 8/2011. Ora bem, aqui é que isto fica mais surreal: é que a dita Resolução determina a aplicação do AO no (vou citar a própria RCM) “Governo e todos os serviços, organismos e entidades sujeitos aos poderes de direcção [sic], superintendência e tutela do Governo (…)” e depois ao Diário da República; mas, adivinharam, nem uma palavra sobre as autarquias, que obviamente não estão sob a tutela do Governo!!… Ah! como eu me ri!, ah! como isto é decididamente kafkiano!

  5. europa.eu/pt
    Brasileiro como língua oficial da Europa. Pff!

  6. Europa.eu/Pt usa o brasileiro como se fora português.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s